Plano de Saúde Empresarial: tudo o que você precisa saber

O que é o plano de saúde empresarial?

Plano de saúde empresarial trata-se de um contrato feito pelas empresas junto a uma operadora de planos de saúde, no qual consta a cobertura de despesas médicas e/ou hospitalares dos colaboradores que têm vínculo empregatício com essa empresa.

Ele é oferecido pela maioria das organizações como um benefício e cobre os custos de atendimento para consultas, exames, terapias, cirurgias, internações e parto.

Hoje temos no mercado planos voltados para empresas que tenham a partir de 2 vidas vinculadas ao seu CNPJ, em todo o território nacional, em diversas opções de operadoras e seguradoras.

 

Qual o melhor plano de saúde empresarial?

As principais operadoras e seguradoras que oferecem planos de saúde nacionais para empresa são:

  • Sulamérica
  • Bradesco
  • Amil
  • Unimed (Central Nacional e Unimeds locais)
  • GNDI Notredame Intermédica
  • Omint
  • Care Plus
  • Sompo Saúde
  • Allianz Saúde
  • Porto Seguro Saúde

 

Além dessas, temos outras que oferecem planos de saúde regionais, de acordo com a localização da empresa.

No Brasil temos atualmente 750 operadoras de planos ativas, e avaliar qual é a melhor para a sua empresa é um trabalho complexo, que exige a ajuda de uma Consultoria de Seguros. A Consultoria irá avaliar todos os fatores que envolvem as necessidades da empresa e os fatores externos para te apresentar quais são as opções que melhor vão atender às demandas da empresa!

 

Quanto custa em média um plano de saúde empresarial?

Há diversas informações que precisam ser analisadas para a formulação do preço de um plano de saúde empresarial e cada operadora tem a sua própria tabela de preços.

 Para se ter uma ideia a precificação é dividida assim:

  • Preço para empresas de 2 a 29 vidas
  • Preço para empresas de 30 a 99 vidas
  • Preço para empresas  acima de 100 vidas.

Geralmente de 2 a 99 vidas os valores são tabelados, partindo de uma estimativa média de R $80,00 para alguém de 0 a 18 anos em São Paulo num plano regional.

Empresas a partir de 100 vidas têm o valor definido somente após análise da área técnica da operadora, por exemplo.

É sempre importante consultar um dos nossos especialistas aqui na BWG para que vejamos as melhores opções em preço, abrangência, rede credenciada, tipo de CNPJ, entre outras informações importantíssimas antes da contratação!

 

Quais são as características desse plano de saúde empresarial?

A principal característica é que se tenha um CNPJ ativo na receita federal, com pelo menos 1 funcionário com vínculo CLT. Hoje os contratos empresariais vão de 2 até o infinito quando falamos em quantidade de vidas.

De forma geral os planos são deparados assim no mercado:

  • empresas que tem de 2 a 29 vidas vinculadas
  • empresas que tem de 30 a 99 vidas vinculadas
  • empresas que tem acima de 100 vidas vinculadas

 Cada uma delas possui regras e formas de contratação diferentes, além do preço, é claro!

 

Como funciona um plano de saúde empresarial?

A seguradora disponibiliza uma rede referenciada de atendimento médico e hospitalar, além de laboratórios, previamente determinados na escolha do plano contratado, para que todos os colaboradores inseridos nesse plano, bem como seus dependentes (se houver) possam utilizar para todo tratamento médico necessário para a sua saúde, desde que tenha cobertura regulamentada pelo Rol de Procedimentos Obrigatórios da ANS.

A grande maioria dos planos em comercialização não prevê cobertura de tratamentos estéticos, salvo em caso de reparo por algum dano causado por doença ou acidente.

Essa questão deve ser avaliada entre a empresa no ato da negociação, o corretor, a seguradora, validando tudo o que há de coberturas legais descritas pela ANS.

Além da rede credenciada, em alguns casos, é oferecido o reembolso para procedimentos realizados fora da rede credenciada.

Para as operadoras não é obrigatório, mas hoje as principais operadoras atendem esse quesito em planos nacionais principalmente, para as seguradoras é obrigatório oferecer a opção de reembolso.

 

Quem paga pelo plano de saúde empresarial?

O pagamento da fatura do plano de saúde empresarial é de responsabilidade da empresa, visto que o contrato é feito em nome da mesma! Porém, é muito comum que a empresa divida esse custo com os colaboradores, custeando metade ou outro percentual em folha de pagamento e descontando a outra parte dos funcionários, por exemplo!

 

O que é preciso para fazer um plano de saúde empresarial?

De forma geral, é necessário que a empresa possua um número de CNPJ ativo. Além disso é necessário que as vidas que vão entrar o plano de saúde como beneficiárias tenham vínculo empregatício (CLT) ou societário (Contrato social).

É normal que empresas maiores contrate planos para os seus Prestadores de Serviço também, mas nesse caso, há regras específicas de cada operadora que deverão ser obedecidos!

Fora isso, caso a empresa tenha alguma particularidade, deverá repassar ao consultor comercial aqui na BWG para que ele avalie junto ao mercado as regras de cada plano.

Quem tem direito ao plano de saúde empresarial?

De forma geral:

  • Sócios
  • Funcionários CLT
  • Dependentes: Cônjuge ou companheiro e filhos/enteados.

 Algumas operadoras aceitam outros tipos de familiar como dependentes, como por exemplo, irmão, sobrinhos, pais, netos, genro/nora, etc. É necessário consultar no caso a caso quem pode e em quais circunstâncias

 

Como funciona a carência do plano de saúde empresarial?

  • Para empresas de 2 a 29 vidas, normalmente é aplicada a carência contratual padrão.
  • Para empresas com mais de 30 vidas, geralmente é isenta a carência contratual para todas as vidas.

Há opções que a partir de 10 vidas já não se tem mais nenhum tipo de carência, porém é regra promocional e tem que ser avaliado pontualmente na contratação.

Sempre peça ao seu consultor detalhes sobre esta questão, pois ela é de suma importância antes de contratar um plano de saúde empresarial

 

Quais as vantagens do plano de saúde empresarial?

A criação de uma política de benefícios na empresa tem relação direta com os seus resultados financeiros.

Ao oferecer essas vantagens para os colaboradores, as empresas aumentam as chances de atrair bons profissionais e reter os talentos, o que melhora o capital humano e, consequentemente, o rendimento de toda a equipe.

Um dos indicadores que o RH precisa acompanhar é o absenteísmo, que indica a taxa de faltas ou de atrasos dos funcionários que não sejam por motivos de doença ou licença.

Uma das formas de combater isso é oferecer benefícios que estimulem o cuidado com a saúde, além de medidas para promover um bom ambiente.

Outro indicador a ser acompanhado pelo RH é o presenteísmo, fenômeno de se estar de corpo presente no ambiente de trabalho, mas, por vários motivos, o profissional não tem produtividade.

Ou seja, o indivíduo está fisicamente presente na empresa mas a mente não está. Isso eleva os índices de acidente de trabalho. 

Para o colaborador, o plano de saúde é fundamental para que ele cuide melhor da sua saúde.

Com a cobertura de exames e consultas, por exemplo, ele é incentivado a procurar regularmente um médico para avaliar as suas condições físicas, algo que impacta positivamente na sua produção e na sua frequência no trabalho.

Outra vantagem do plano de saúde é a liberdade de escolha do usuário.

  

Como escolher o melhor plano de saúde?

Na hora de contratar um plano de saúde empresarial, é importante prestar atenção em alguns detalhes.

O primeiro deles é conhecer a reputação da seguradora, o que pode ser feito com a ajuda de um corretor de seguros habilitado pela SUSEP.

Segundo ponto é verificar a área de abrangência da rede de atendimento dessa seguradora, além dos principais hospitais e laboratórios que ela disponibiliza para uso da rede credenciada.

Terceiro ponto, regras para a contratação. Necessita avaliar em qual empresa vai conseguir ter todos os pedidos necessários para atendimento global das vidas seguradas. Não faz sentido ter preço se não tem as condições necessárias, como por exemplo, seguro viagem internacional para uso dos executivos, ou um determinado prestador na rede credenciada.

Quarto ponto, facilidade de relacionamento no pós vendas.

Quinto ponto – Preço. O preço é a última questão com a qual a empresa deve se preocupar. Isso é claro se a intenção dela com a contratação do plano saúde é de fato agregar valor, e trazer melhorias à saúde dos seus colaboradores, além é claro de utilizar esse recurso na retenção dos seus talentos!

 

Qual a diferença entre Plano de Saúde e Seguro Saúde?

Ambos são tipos de planos de saúde, mas existe uma grande diferença entre eles: a forma na qual são ofertados os serviços e acessos. O plano de saúde deve oferecer todos os seus serviços por uma rede própria ou terceirizada, mas a garantia de reembolso não é uma certeza. O seguro saúde, por outro lado, tem o reembolso como regra. Ele te dá indicações de lugares para ser atendido ou te reembolsa, mas esse tipo de plano só pode ser oferecido por uma seguradora que tenha como especialidade a área da saúde.

 

Quais seriam as principais dicas antes de uma empresa contratar um plano de saúde?

  • Conhecer o tipo de cobertura desejada: Hospitalar, ambulatorial, Ambulatorial e Hospitalar com ou sem obstetrícia
  • Definir a abrangência geográfica – Se regional, por grupo de cidades ou Estados ou Nacional
  • Validar a rede credenciada do plano
  • Ter de forma totalmente esclarecida pela corretora e pela seguradora as regras contratuais (quem pode aderir ao plano, em quais condições, regras gerais sobre carências, coberturas especiais, etc.
  • Conhecer e entender como funciona e quando será aplicado o reajuste
  • Ter em mãos o contrato e não assinar se houver qualquer dúvida sobre alguma cláusula

 

As empresas são obrigadas a oferecer o plano de saúde para os colaboradores?

Não necessariamente. Porém, há alguns sindicatos que tem essa obrigatoriedade dentro da convenção coletiva de trabalho.

Além de rede credenciada, o que mais um plano de saúde pode oferecer para as empresas?

Essa é uma das principais questões que abordamos com nossos prospects. Temos diversas opções quando se trata de diferenciais que são oferecidos pelo mercado às corporações! Dentre elas, podemos citar:

  • Seguro viagem Nacional e Internacional
  • Desconto em farmácias e outros serviços
  • Atendimento por vídeo chamada
  • Segunda opinião médica (Nacional ou internacional)
  • Concierge
  • Procedimento além dos obrigatórios pela ANS, como escleroterapia, sessões adicionais de terapias, entre outros
  • Atendimento residencial para fisioterapia
  • Coleta domiciliar para exames
  • Entrega de resultados em domicílio
  • Remoção médica aérea ou terrestre, entre muitos outros a depender: Do porte da empresa que está contratando o plano de saúde, do produto oferecido pelas seguradoras/operadoras, região de contratação e abrangência, perfil etário, etc.

Necessário avaliar qual a operadora ou seguradora para verificar o que cada uma tem dentro dessas possibilidades para oferta à empresas, seja com ou sem custo adicional!

 

Como escolher um bom corretor para me ajudar na contratação do plano de saúde para a minha empresa?

Há uma lenda antiga que diz que quanto maior a corretora, melhores os serviços e o suporte que ela vai te dar. Isso não é necessariamente verdade.

Um bom corretor de seguros deve ser, além de devidamente qualificado pela SUSEP, Honesto!

Segundo ítem de extrema importância: O corretor deve ter um conhecimento profundo do mercado de atuação, para que possa oferecer todas as opções que se enquadrem às necessidades efetivas do seu cliente, de acordo com o tamanho da empresa, região de alocação das vidas, atividade, demanda de determinados serviços, etc.

Terceiro ponto: O corretor deve oferecer e ter um atendimento de pós venda de excelência. O Pós vendas é tão importante (ou Mais) que a venda em si. Um bom corretor entende essa questão e faz questão de deixar claro para o cliente como funciona e como será o atendimento dele após a implantação do contrato de plano de saúde.

Também há de se levar em conta os serviços prestados por este corretor e se há algum valor agregado nos mesmos. Por exemplo, gestão de sinistro, sistemas para facilitar a rotina do RH, programas de qualidade de vida desvinculados das seguradoras, benefícios para o RH ofertar aos colaboradores e uma forma de gerenciamento integrado de todos eles.

Quanto mais um corretor é capaz de facilitar o dia a dia do RH com a gestão dos seus contratos de seguros Saúde, mas o RH ficará livre para tratar das suas responsabilidades (que são inúmeras), de forma integral, focando exclusivamente na gestão de Pessoas dentro da Companhia!

Por isso é de suma importância escolher muito bem, além do seguro saúde da sua empresa, o corretor que fará com você todo o processo, desde a negociação, até o reajuste após 12 meses de vigência desse contrato, que é quando a empresa deve receber o reajuste anual de valores!