Síndrome do impostor: sinais, causas e impactos na vida profissional

síndrome do impostor

Síndrome do impostor: sinais, causas e impactos na vida profissional

As doenças psicológicas têm sido uma das maiores preocupações para as empresas. Diversos transtornos podem interferir negativamente na saúde do colaborador e, consequentemente, na sua produtividade. Um desses problemas é a chamada síndrome do impostor.

Você já alguma vez já sentiu que não era digno de uma determinada conquista, ou que sua carreira profissional é uma farsa? Esses são sinais de alerta que devem ser observados com mais cuidado.

Se você não sabe o que é a síndrome do impostor, nesse artigo vamos te ajudar a entender melhor esse problema, assim como seus sinais, causas e impactos na rotina profissional. Ao final, você ainda vai conferir dicas de como lidar com essa situação. Acompanhe!

O que é a síndrome do impostor?


A síndrome do impostor é uma desordem psicológica que pode ser confundida com a insegurança e falta de
autoconfiança, mas na verdade ela é bem mais séria e complexa do que isso.

As pessoas que sofrem dessa síndrome têm muita dificuldade em reconhecer suas conquistas, pois são dominadas por um forte sentimento de que não são boas o suficiente e de que todas as suas vitórias são puramente fruto do acaso. Em outras palavras, elas diminuem os próprios esforços e não enxergam valor em seus feitos.

Não é difícil entender como isso pode prejudicar tanto a vida pessoal quanto a vida profissional, uma vez que a sensação de frustração é predominante.

As causas relacionadas ao desenvolvimento da síndrome são variadas. Questões sociais, traços da própria criação familiar, questões econômicas, experiências, tudo isso pode contribuir para um trauma, marcado pela insegurança e cobrança excessiva.

Sendo assim, qualquer pessoa está sujeita a apresentar esse quadro, principalmente considerando a sociedade competitiva em que vivemos, em que há uma ideia de que é preciso ser o melhor em tudo e fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Alguns sinais podem ajudar a identificar o indivíduo com síndrome do impostor. São eles:

  • Profissional que trabalha em excesso pois sente que precisa compensar uma suposta falta de compromisso (que só existe em sua mente);
  • Frequentemente pensa que as pessoas que desempenham as mesmas funções são mais qualificadas e até mesmo melhores para o trabalho;
  • Evita ao máximo novos desafios, pois acredita que não conseguirá ter sucesso neles;
  • Procrastina muito, adiando tarefas e compromissos por medo de que o resultado não seja perfeito e que acabe sendo criticado pelos outros;
  • Tende a se autossabotar com frequência, pois acredita que o fracasso é inevitável;
  • Tem dificuldade em lidar bem com críticas construtivas, sempre vendo mais o lado ruim das coisas;
  • Sofre em silêncio e não compartilha suas dúvidas e apreensões, por medo de que os outros concordem com o julgamento negativo que criou em sua mente.

 

Impactos da síndrome do impostor no trabalho


A síndrome do impostor, ironicamente, costuma acometer pessoas competentes e muito capazes. Ainda assim, ela pode provocar um impacto muito negativo no ambiente de trabalho. 

Além de transmitir insegurança para os colegas, o indivíduo não consegue organizar suas tarefas, não comemora as próprias vitórias e, aos poucos, vai ficando desmotivado. 

Os principais prejuízos para quem convive com essa desordem psicológica são:

Perda de oportunidades


Um dos principais impactos da síndrome é a perda de oportunidades. Aumento de responsabilidades, desafios, posições de liderança… Muitas pessoas passam a fugir dessas situações por medo de ficarem em evidência e não conseguirem cumprir com as expectativas depositadas nelas.

Um estranho medo de ser “desmascarado” e ter sua incompetência exposta faz com que esse profissional fique paralisado e abra mão desse tipo de oportunidade.

Sobrecarga


Quem sofre com a síndrome do impostor tem dificuldade em dizer “não” no trabalho. Isso porque esse indivíduo pensa que precisa estar sempre fazendo mais e mais para que sua incapacidade não seja exposta.

O resultado disso é uma sobrecarga visto que as prioridades são desconsideradas no momento em que você disponibiliza para fazer tudo aquilo que outras pessoas pedem, ainda que não haja tempo suficiente para elas.

Produtividade comprometida


Como vimos no tópico anterior, o profissional acaba tendo dificuldade de organizar as próprias tarefas. Produtividade não tem a ver com fazer muito e sim fazer muito, com qualidade e em menos tempo.

Porém, o acúmulo de tarefas impede que as coisas sejam feitas da forma correta, a situação se torna uma bola de neve e os resultados acabam sendo cada vez piores.

Insatisfação constante


A síndrome do impostor impede que o profissional celebre pequenas conquistas, como uma tarefa finalizada no prazo estipulado. Fica sempre uma sensação de que o resultado poderia ter sido melhor, de que ele poderia ter se dedicado mais. 

Ou seja, não há uma capacidade crítica de avaliar a real necessidade de ajustes ou se o resultado está satisfatório.

Esgotamento mental


Infelizmente, há casos mais graves em que a síndrome do impostor pode evoluir para um quadro mais grave e preocupante. 

Todos os fatores mencionados anteriormente, quando não identificados e tratados corretamente, podem levar o esgotamento mental ou Burnout. A depressão também pode ser um impacto negativo, afastando o profissional de suas atividades.

Como evitar ou combater o problema?


Pequenas atitudes de autocuidado são determinantes para evitar e tratar a síndrome do impostor. São elas:

  • Se você se identifica com os sinais da síndrome do impostor, busque ajuda profissional para falar sobre seus sentimentos;
  • Liste coisas positivas sobre você, como realizações e habilidades. Mesmo que sejam coisas pequenas, isso te ajudará a se lembrar do seu valor;
  • Mantenha um bom relacionamento com as pessoas que você gosta e respeita, buscando feedbacks contínuos e sinceros para que consiga enxergar seus esforços;
  • Não se compare aos outros;
  • Aprenda a aceitar e assumir seus erros, entendendo que isso é natural e faz parte do seu crescimento;
  • Aceite também os elogios e seja mais confiante quanto às suas próprias conquistas;
  • Não tenha vergonha de pedir ajuda ou conselhos, eles fazem parte da jornada de qualquer pessoa e são importantes para seu desenvolvimento.

 

Essas são apenas algumas dicas práticas que vão te ajudar a identificar e lidar com a síndrome do impostor, mas esse é um processo contínuo e que demanda muita dedicação pessoal. Veja também o que fazer para combater o estresse ocupacional.

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.