Seguro de vida resgatável: vale a pena ou não?

seguro de vida resgatável

Seguro de vida resgatável: vale a pena ou não?

O seguro de vida resgatável é uma modalidade cada vez mais popular no Brasil, pois permite ao segurado resgatar o dinheiro investido, ou pelo menos uma boa parte dele.

Essa opção acaba sendo uma forma de quebrar um pouco o tabu que ainda se vê quando o assunto é contratar um seguro, por ser um tema automaticamente ligado à morte. 

Há quem ainda não entenda a importância de um seguro de vida e ache que não é um grande negócio, visto que nos moldes tradicionais o dinheiro não pode ser usado em vida.

Mas afinal, esse modelo de seguro realmente vale a pena? Ele pode mesmo ser considerado uma reserva financeira?

Para que você não acabe fazendo uma escolha precipitada, preparamos nesse artigo um compilado de informações úteis sobre esse assunto, como:

  • Como funciona o seguro de vida resgatável
  • Diferenças em relação ao seguro de vida tradicional
  • Vantagens e desvantagens do seguro de vida resgatável.

 

Como funciona o seguro de vida resgatável?


Em um seguro de vida tradicional, ou seja, como a maioria das pessoas conhece, a cobertura oferece o pagamento de uma indenização em caso de falecimento, doenças graves ou acidentes que levem à situação de invalidez.

Com o seguro de vida resgatável, além de tudo isso, é possível ainda fazer o resgate desse valor sem a necessidade de um sinistro. 

Em outras palavras, o segurado não precisa ser sujeito a nenhuma das situações condicionadas ao seguro tradicional para fazer a retirada do dinheiro.

Algumas condições específicas do contrato variam de empresa para empresa, mas esse prazo de carência para o resgate obedece a um período fixo de 24 meses.

Dessa forma, se por alguma razão a empresa contratante não puder mais pagar pelo seguro, o segurado não perde o valor investido até então.

Sendo assim, a principal característica do seguro de vida resgatável é que ele se assemelha a uma aplicação financeira, visto que parte do valor pago pelo segurado é aplicado em um fundo de resgate.

A rentabilidade dessa aplicação é dada com base no cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) somado a uma taxa de 3% ao ano.

Outro ponto importante que diferencia o seguro de vida resgatável é a questão do reajuste das parcelas.

Diferentemente dos seguros tradicionais, não um aumento quando o segurado atinge uma determinada de idade, sendo um reajuste regido unicamente pela inflação anual. 

Como consequência, seu preço é nivelado e mais atrativo do que outros planos de seguro de vida, que inevitavelmente acabam ficando bem mais caros a cada ano. 

Em relação ao prazo de vigência, o seguro de vida resgatável apresenta duas possibilidades:

Prazo determinado: Há uma data de validade para o contrato, que em geral pode variar entre 5 a 30 anos. O segurado paga as mensalidades e seus beneficiários ficam protegidos, mas no final do prazo ele recebe de volta a quantia aplicada acrescida dos devidos rendimentos, dando um fim à proteção do seguro;

Prazo vitalício: A apólice é válida até que seja feito o resgate, que pode ser realizado a qualquer momento, desde que respeitando o prazo de carência definido.

Vantagens do seguro de vida resgatável


O seguro de vida resgatável oferece benefícios muito interessantes que devem ser considerados no momento da sua escolha. Retomando um pouco do que já foi dito sobre esse modelo de contrato, podemos destacar aqui os principais:

Flexibilidade


O seguro resgatável se torna uma opção muito atrativa principalmente por conta da flexibilidade que oferece em comparação com outros modelos de seguro.

O segurado garante que será indenizado em caso de qualquer tipo de imprevisto relacionado à sua saúde, assim como a proteção de seus dependentes, mas também tem em suas mãos a opção de resgatar o valor, se esse for seu desejo.

Para casos urgentes que não são cobertos pelo contrato, ou se a apólice não é mais necessária para o segurado, essa possibilidade é muito útil.

Ausência de reajuste por idade


A condição de aumento da mensalidade a cada ano é algo que preocupa muita gente que pensa em ter um seguro de vida, pois o valor fica mais pesado a cada ano e é natural que acabe se tornando uma despesa com a qual é cada vez mais difícil arcar.

Os seguros resgatáveis têm seu reajustes orientados unicamente pela inflação, o que já confere uma tranquilidade maior para segurado.

Rentabilidade


O dinheiro direcionado a nesse tipo de seguro sofre uma
rentabilidade em cima da inflação vigente no país, o que é um grande diferencial em relação a outras opções de seguro. 

A quantia também recebe o acréscimo dos valores relacionados à rentabilidade obtida no período, de acordo com taxas estabelecidas na apólice.

Desvantagens do seguro de vida resgatável


Apesar de apresentar benefícios indiscutivelmente atrativos, é importante ter em mente que essa modalidade de seguro também exige alguns cuidados no momento de analisar se essa é a melhor opção ou não. 

Algumas desvantagens que devem ser colocadas na balança, são:

Valor da mensalidade


O valor da mensalidade do seguro de vida resgatável pode ser indicado com um ponto negativo em relação aos modelos convencionais.

Isso porque a mensalidade costuma ser mais pesada, com valores mais altos e que podem gerar dificuldades para as famílias na hora de encaixar mais essa despesa em seu orçamento.

Prazo para resgate


Mesmo para as opções de seguro com prazo vitalício, o segurado precisará esperar, no mínimo,
dois anos para de fato poder efetuar o resgate do valor aplicado à apólice.

Valor do resgate


O valor do resgate tem uma relação direta com o tempo em que ele está aplicado. Por essa razão, nos primeiros anos após o início do contrato e período de carência,
não é possível retirar grandes quantias, mas apenas uma pequena porcentagem do valor total.

Ou seja, apenas mantendo o seguro por vários anos é que será possível, de fato, resgatar um valor maior e, talvez, o total pago até então.

Conclusão


O seguro de vida resgatável, diferentemente do que muitas pessoas pensam,
não é uma espécie de previdência privada

Ele pode ser sim uma reserva financeira útil para momentos de urgência, mas não é a opção ideal para quem busca complementar a aposentadoria do INSS.

Da mesma forma, pudemos ver que existem vantagens e desvantagens, sendo assim necessário analisar caso a caso se esse tipo de seguro de vida é mesmo o ideal para você.

Para famílias com pouco ou nenhum patrimônio e que teriam mais dificuldades em caso de ocorrência de uma fatalidade ao provedor, o seguro de vida resgatável talvez não seja a melhor opção.

Porém, se a família tem perspectivas melhores e que apostar em um seguro mais inteligente e que possa ser um investimento para emergências a longo prazo, essa opção pode sim atender muito bem.

 

Gostou das nossas dicas sobre seguro de vida resgatável? Veja também quais são as vantagens do seguro de vida empresarial.

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.