Avaliação 360 graus: o que é, como funciona e benefícios

avaliação 360 graus

Avaliação 360 graus: o que é, como funciona e benefícios

Na medida em que as empresas começam a entender a necessidade de um feedback constante, uma prática que vem mostrando bons resultados é a da avaliação 360 graus.

Essa é uma importante ferramenta para a gestão de capital humano, contribuindo para o desenvolvimento estratégico dos colaboradores. 

Quer entender do que ela se trata, afinal? Neste post trouxemos as principais informações sobre esse método para que você entenda o que é, como funciona e quais são os benefícios de apostar nele.

Confira!

O que é a avaliação 360 graus?


A chamada avaliação 360 graus ou avaliação multivisão é uma metodologia que considera um
feedback que parte de diversas fontes ao redor do colaborador, enriquecendo essa devolutiva para o profissional. 

Sendo assim, além da autoavaliação, que é um exercício essencial e muito benéfico para o desenvolvimento individual, a empresa estimula que todos os colaboradores que trabalham próximos a ele também contribuam com suas perspectivas.

Dentro desse contexto estão seus superiores diretos e gestores, mas também seus colegas de equipe e até mesmo seus subordinados.

Indo ainda mais longe dos modelos tradicionais de feedback, a avaliação 360 graus pode incluir outros tipos de pessoas que também mantém alguma relação com aquele colaborador, sejam os próprios clientes, parceiros ou colegas com quem ele atuou em um determinado projeto.

Como podemos ver, essa é uma postura inovadora e que expande o processo de feedback. Essa é uma forma de apostar em uma cultura organizacional mais engajada e com colaboradores e setores mais integrados e comprometidos.

Como funciona a avaliação de 360 graus?


A avaliação 360 graus parte, em um primeiro momento, da sintonia dentro da empresa. 

Quando os colaboradores estão confortáveis com suas equipes e são engajados o suficiente para dar e receber feedback sem levar nada para o lado pessoal, mas sim focando em oferecer críticas construtivas.

Após a definição de quais serão os aspectos avaliados no processo, considerando os tipos de cargos existentes, o RH estrutura um questionário que será respondido pelos avaliadores seguindo uma regra de confidencialidade. 

Os comportamentos são listados e, em geral, é utilizada a escala de frequência (nunca, raramente, às vezes, muitas vezes, sempre) para que eles sejam caracterizados de acordo com cada profissional avaliado.

As questões abertas também devem ser incluídas, pensando em um retorno mais pessoal para o avaliador e em um retorno mais específico e personalizado para o avaliado. 

Após todos os formulários reunidos, o panorama dos resultados obtidos é apresentado a cada colaborador individualmente pelo RH e gestor.

De forma geral, o processo de avaliação de 360 graus considera:

Competências organizacionais 


As
competências comportamentais e organizacionais, muito conhecidas também como soft skills, são as mais importantes em uma avaliação 360 graus.

Essas características são fundamentais para o profissional com um bom desempenho segundo o cenário do futuro do trabalho, de forma que são muito bem avaliados por aqueles que convivem diretamente com o profissional.

Sendo assim, são analisadas a capacidade de trabalhar em equipe, de se comunicar, de assumir a liderança, negociar ou argumentar, se autodesenvolver e também as iniciativas desse profissional no ambiente de trabalho.

Competências técnicas


É claro que as competências técnicas ou
hard skills também não podem ser deixadas de lado na avaliação 360 graus.

Elas são, porém, mais fáceis de serem avaliadas, pois se relacionam com as habilidades de execução do profissional e sua experiência anterior. Elas são mais perceptíveis, principalmente quando submetidas a uma avaliação mais objetiva e prática.

Dependendo do cargo, a análise pode considerar as habilidades do colaborador com o uso de softwares e programas como o Excel ou conhecimento específico em gestão financeira ou jurídica.

Desempenho e resultados


O desempenho do profissional em linhas gerais e os resultados concretos que ele trouxe para a organização até então são itens avaliativos mais específicos e direcionados para uma análise junto ao gestor e sistemas internos da empresa.

Sendo assim, esse ponto da avaliação 360 graus pode abordar a satisfação dos clientes em relação à atuação daquele profissional, o número de atendimentos realizados por ele, a qualidade dos projetos entregues, vendas concluídas, entre outros aspectos desse gênero.

Quais os benefícios da avaliação 360 graus?


A avaliação 360 graus, como vimos, é um método desafiador e inovador, que exige um conhecimento da empresa sobre seus colaboradores e também uma cultura organizacional forte para que dê certo.

Por outro lado, quando aplicado no momento certo e da forma correta, essa estratégia tem potencial de proporcionar benefícios incríveis para a organização, como:

Exercício da autoavaliação


A avaliação 360 graus confere ao profissional a oportunidade de fazer uma autoanálise. Esse exercício é muito importante, pois ele coloca em prática o desenvolvimento da autocrítica, algo a que não estamos muito habituados. 

Em outras palavras, é possível comparar a visão que temos de nós mesmos com a percepção que as pessoas ao redor têm em relação a nós, identificando pontos fortes e de melhoria. 

Essa atitude é um pontapé inicial para que as mudanças se concretizem e possamos evoluir não só como profissionais, mas também como seres humanos.

Assertividade das soft skills


Como mencionamos antes, as
soft skills são competências mais complexas de serem avaliadas, porque estão ligadas ao comportamento do profissional, seus valores e talentos.

Ao aplicar a avaliação 360 graus, será possível ter uma visão mais plural desse aspecto do colaborador, não limitando a análise à perspectiva de um único superior, por exemplo.

Desenvolvimento individual


Os
insights gerados pela avaliação 360 graus podem ser traduzidos em ações e metas, o que contribui diretamente para o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) do colaborador. 

Após a reunião com o RH e o superior responsável, esse profissional terá uma visão mais clara sobre seus pontos fortes e fracos, além de um planejamento mais concreto sobre o que ele precisa fazer para evoluir em seu desempenho dali para frente.

 

Esse post sobre avaliação de 360 graus foi útil para você? Leia também: Como dar feedback à distância durante o home office?

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.