Dinâmica de grupo online: 3 técnicas para aplicar

dinâmica de grupo online

Dinâmica de grupo online: 3 técnicas para aplicar

Os processos seletivos realizados na modalidade online já são bem populares. Com a necessidade de manter o distanciamento social devido a Covid-19, empresas que não estavam alinhadas às seleções virtuais precisaram rever suas ações. Além das entrevistas, a dinâmica de grupo online também vem sendo utilizada com força neste momento de home-office.

Assim como as tradicionais, as dinâmicas online têm como principal objetivo observar a reação dos candidatos quando submetidos a conflitos semi-fictícios ou ainda seu nível de interação junto aos demais participantes.

A partir das reações dos candidatos, o time de RH tem em mãos subsídios para definir o melhor profissional para o cargo, considerando as necessidades da empresa.

No conteúdo a seguir, você conhecerá 5 técnicas de dinâmica de grupo online para aplicar no seu processo seletivo. São ideias que podem ser adaptadas de acordo com as necessidades e segmento da sua empresa, porém, com resultados bem expressivos e assertivos.

O que pode ser avaliado em uma dinâmica de grupo online?


De maneira geral, é através da dinâmica de grupo que o recrutador identifica se o candidato à vaga possui qualidades básicas, inerentes e essenciais a qualquer posição profissional. Podemos citar, por exemplo, proatividade, comunicação, empatia, agilidade, raciocínio lógico,
perfil profissional, dentre outros.

No entanto, principalmente nos processos seletivos realizados por gestões modernas, há outras habilidades interessantes que podem ser analisadas. As chamadas “soft skills’, que abrangem as capacidades comportamentais e habilidades mais subjetivas, também devem ser avaliadas.

Neste aspecto, o gestor consegue identificar o senso de liderança, o pensamento crítico, os níveis de entusiasmo e motivação, a resiliência, dentre outros.

Além das habilidades e competências mencionadas, algumas atitudes, quando realizadas pelos candidatos, merecem atenção especial e podem, inclusive, possuir caráter eliminatório:

  • Falta de comprometimento com o horário agendado;
  • Erros grotescos de português;
  • Desconhecimento sobre a empresa;
  • Conversas paralelas;
  • Não atendimento aos comandos solicitados;
  • Excesso de nervosismo;
  • Excesso de gírias e palavrões;
  • Falta de educação com os recrutadores.

As dinâmicas online são realizadas através de aplicativos e softwares para reuniões e videochamadas. Usualmente são utilizados apps como Skype e Hangouts, mas há outros como o Zoom Meetings e o Microsoft Teams.

3 exemplos de dinâmicas online igualmente eficazes


Antes de iniciar o processo, é pertinente conferir a qualidade da conexão e os itens necessários, como câmera e microfones. Além do próprio recrutador checar suas ferramentas, os candidatos devem ser previamente informados sobre a tecnologia necessária para a participação na dinâmica e, também. checá-las.

É válido salientar que nem sempre é possível realizar as mesmas atividades utilizadas nas dinâmicas presenciais. No entanto, algumas ações podem ser desenvolvidas com a mesma eficiência, sem comprometer o processo seletivo. Veja a seguir algumas opções.

1. Uso de testes online


Além dos processos seletivos, os testes online podem ser incorporados também às dinâmicas de grupo remotos.

Ao criar os testes, é possível incluir todas as perguntas e situações que seriam propostas na dinâmica presencial, por exemplo. As respostas podem ser avaliadas da mesma maneira, com o adicional de estarem documentadas para consultas posteriores.

Através dos testes online, o recrutador consegue avaliar o comportamento do candidato, seu comprometimento com o processo, conhecimento sobre a atuação da empresa, habilidades, competências e dificuldades.

Ao final da dinâmica, os testes podem ser anexados aos demais documentos do processo seletivo, a fim de que gestores e líderes possam conhecer os candidatos para o cargo, antes das entrevistas posteriores.

Uma ferramenta interessante para a aplicação de testes em dinâmicas online é o Google Forms. Com ele, é possível personalizar os formulários e compartilhá-los com facilidade a todos os candidatos.

O Google Forms também permite que o candidato receba uma cópia de suas respostas.

2. Aplicação de cases por vídeo


Os cases semi-fictícios são muito utilizados nas dinâmicas presenciais. No ambiente online, também é possível aplicá-los, bastam algumas adaptações.

Em vez de o recrutador propor o desafio ao vivo, uma boa dica é criar um briefing completo com a tarefa, com um prazo para conclusão, e enviá-lo antecipadamente aos candidatos. 

Uma vez concluído, os participantes gravam suas considerações via vídeo e as enviam para o recrutador. Este, por sua vez, fará as análises necessárias e pertinentes a vaga, bem como o cumprimento dos requisitos e respeito aos prazos.

Nos cases por vídeo, é fundamental que haja um tempo pré-definido para a duração de cada gravação. Desta forma, todos os candidatos terão a mesma oportunidade e, consequentemente, não serão prejudicados ou beneficiados.

3. Debates pertinentes a vaga


Para processos realizados em pequenos grupos, as discussões online e ao vivo são boas estratégias de dinâmicas online. Com um número reduzido de participantes, o recrutador possui mais controle na troca de informações, garantindo espaço igual de explanação de ideias para cada candidato.

Neste modelo, o ideal é ilustrar situações rotineiras da empresa. Assim, o recrutador têm uma visão concreta de como o candidato solucionará os obstáculos aos quais for submetido. 

Como as reuniões são ao vivo, o ideal é que exista um roteiro definido. Assim, o recrutador vai direto ao ponto e os candidatos possuem tempo hábil para trocar experiências.

Outra dica importante vale para os processos com vários candidatos. Para manter a organização e a coesão, vale dividir as dinâmicas em turmas reduzidas, mesmo que o processo seletivo se torne um pouco mais extenso.

Plus: você conhece as fases da jornada de seleção para o candidato?


Um aspecto crucial para o bom andamento de qualquer processo seletivo é compreender quais etapas o candidato percorre, desde a pesquisa da vaga até a contratação. Assim, é possível planejar toda a trajetória e identificar as necessidades dele em cada etapa.

Então, na jornada do candidato temos as seguintes fases:

  • Descoberta, quando o candidato conhece a vaga e suas características;
  • Interesse, que é o momento em que o candidato reconhece sua afinidade com a oportunidade;
  • Candidatura, momento em que o candidato demonstra interesse pela vaga;
  • Seleção, fase na qual o candidato participa das etapas do processo seletivo;
  • Contratação, quando há a conclusão do processo e contratação do candidato.

Unindo a jornada do candidato às dinâmicas online e entrevistas individuais, o gestor consegue formar um time alinhado às expectativas da empresa, bem como aos seus valores e missão.

 

E então, gostou do artigo? Para conhecer outras estratégias capazes de otimizar o processo de contratação da sua empresa, confira nosso conteúdo exclusivo.

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.