O que é uma reunião 1:1 (one on one) e a importância para as empresas

Compartilhe

Ouvir pessoas, compartilhar insights e dialogar sobre como todos podem progredir juntos é um dos melhores caminhos para a criação de uma cultura organizacional forte e efetiva. E uma das melhores formas para colocar isso em prática é com a reunião 1:1 (one on one).

Isso porque a ideia principal dessa ação é fazer com que as relações entre as pessoas na empresa — em especial entre líderes e liderados — se tornem mais saudáveis, fortalecendo vínculos e promovendo o protagonismo do time como um todo.

Neste artigo, vamos te explicar esse conceito e mostrar um passo efetivo de colocá-lo em prática. 

O que é a reunião 1:1 (one on one)?

A primeira coisa que você precisa saber sobre a reunião 1:1 é que ela deve ser periódica, acontecendo a cada semana, quinzena ou mês.

Além disso, ela deve ser previamente agendada e funcionar como um encontro entre as lideranças e cada um dos membros da equipe, individualmente. 

O objetivo é compartilhar feedbacks, trazendo insights e facilitando a rotina de trabalho de todos.

Esse espaço também pode ser usado para resolver eventuais problemas e ajudar os colaboradores a se desenvolverem profissionalmente.

Além disso, ao realizar esses encontros, a liderança tem a oportunidade de entender como os colaboradores enxergam o seu papel na empresa, enquanto os outros descobrem o que precisam melhorar. Ou seja, é sempre uma via de mão dupla.

Isso também resulta em informações preciosas que, posteriormente, poderão ser usadas em avaliações de desempenho justas e práticas, que favoreçam a participação de diversos agentes e uma visão geral do avaliado – sem considerar apenas os acontecimentos recentes.

Benefícios da reunião 1:1

Entre os principais benefícios dessa iniciativa, podemos destacar:

  • Feedbacks efetivos e realmente focados no crescimento profissional;
  • Troca de insights e expectativas sobre desenvolvimento pessoal;
  • Mapeamento de pontos fortes e fracos dos colaboradores;
  • Aumento da satisfação do time como um todo;
  • Maior conexão com o trabalho para alcançar os objetivos organizacionais;
  • Revisão dos pontos importantes e definição de prioridades;
  • Desenvolvimento das habilidades técnicas e comportamentais;
  • Aumento da confiança entre colaboradores e gestores;
  • Aumento na retenção de talentos e no engajamento da equipe;
  • Melhoria do papel da gestão, já que os colaboradores também repassam feedbacks.

Leia também: Jornada do Colaborador: o que é, quais as etapas e como fazer?

Passo a passo para colocar a 1:1 em prática

Agora que você entendeu o que é, de fato, uma reunião 1:1,  chegou a hora de conferir um passo a passo de como colocá-la em prática:

1. Preparação

Nesse processo, mantenha o foco na conversa, que deve ser flexível, abrangendo tópicos importantes para os dois lados.

Além disso, a reunião deve acontecer com regularidade para ser eficiente, podendo ocorrer encontros semanais, mensais, quinzenais ou de acordo com a necessidade identificada pelo líder.

No dia da reunião, evite cancelar. Mas, se realmente for necessário, tente encaixá-la em um novo horário o mais breve possível.

2. O que abordar?

Você pode começar a reunião 1:1 perguntando como a pessoa se sentiu durante a semana, se há algo impactando o seu bem-estar pessoal e o que espera da semana atual.

Depois disso, vocês podem focar na evolução das prioridades e discutir o que aconteceu desde a última reunião, determinando quais serão as prioridades da semana, o que ficou em segundo plano e o que vai precisar ser adiado. 

Na sequência, também é importante falar também sobre os desafios, definindo quais barreiras  foram (ou ainda precisam ser) ultrapassadas.

E, por último, é essencial falar dos pontos fortes e entender se o colaborador está confiante nos rumos que a empresa está tomando, se sente que está alinhado a esses objetivos e se sabe como seu trabalho está conectado aos objetivos da organização.

Além disso, você também pode mencionar aspectos como:

  • Performance do funcionário;
  • Colaboração com a equipe;
  • Bem-estar no trabalho
  • Equilíbrio entre vida pessoal e profissional
  • Níveis de engajamento;
  • Metas e objetivos a curto e longo prazo, etc.

Inclusive, a nossa plataforma de gestão de desempenho conta com uma ferramenta de check in para as reuniões 1:1, com perguntas que serão respondidas previamente pelo colaborador, calibrando a pauta do líder. Saiba mais neste link.

3. Boas práticas para lideranças

Além do que já foi dito, é importante também adotar algumas boas práticas, como:

– Ser proativo e ouvir com atenção

Evite ser reativo e selecione as palavras certas para a reunião 1:1, mantendo a empatia, a escuta ativa e a comunicação não-violente.

O importante é garantir que seja um espaço com segurança psicológico para construir uma relação de confiança entre líder e liderado.

– Desenvolver uma situação de ganha-ganha

Assim como os colaboradores devem progredir, a reunião 1:1 também serve para o desenvolvimento dos líderes.

Por isso, ofereça abertura para essa mudança, compartilhe experiências pessoais e tente entender o que está sendo dito pelo colaboradores.

Aceite feedbacks e mostre que o colaborador tem espaço para isso. Uma boa ideia é questionar como ele enxerga a sua liderança para saber o que pode ser melhorado. Assim, você aperfeiçoa seus processos e, ao mesmo tempo, desenvolve sua equipe.

Agora que você já sabe como colocar em prática uma reunião 1:1, que tal baixar o nosso ebook sobre escuta ativa e entender como essa ferramenta impacta na performance corporativa, aumentando, entre outras coisas, a produtividade das equipes?

BWG

BWG

Assine a news e fique por dentro das principais notícias do mundo do RH e da Comunicação Interna.