O que é um plano de previdência e quais suas vantagens?

plano de previdência

O que é um plano de previdência e quais suas vantagens?

Você provavelmente já ouviu falar em plano de previdência privada. Este é, atualmente, um dos benefícios mais almejados por profissionais de qualquer área.

Questões relacionadas à previdência e aposentadoria têm sido muito debatidas nos últimos anos. Com a instabilidade financeira do país, os brasileiros têm se sentido cada vez mais inseguros com relação a esse tema.

Além da Reforma da Previdência, que tornou as regras de aposentadoria ainda mais rígidas, nosso país tem um histórico que naturalmente torna um desafio reservar uma quantia de dinheiro fixa todos os meses.

A preocupação com uma qualidade de vida agradável após o encerramento das atividades profissionais é o que tira o sono de muitas pessoas. É por essa razão que o projeto de previdência privada chama a atenção.

Muitas empresas, como consequência, estão investindo nele como benefício, visando atrair e reter talentos, além de proporcionar certa tranquilidade durante o cumprimento de suas funções.

Neste artigo, vamos explicar melhor do que se trata o plano de previdência empresarial, destacando também que vantagens a empresa adquire ao apostar nessa modalidade.

Como funciona um plano de previdência empresarial?


Que profissional não gostaria de receber apoio de sua empresa no projeto de construir uma
aposentadoria mais segura?

O plano de previdência empresarial é uma opção que funciona como aporte oferecido pela empresa como forma de benefício a seus colaboradores.

Ou seja, além dos benefícios tradicionais e básicos, como vales alimentação, refeição, transporte, plano de saúde, entre outros; os profissionais também recebem apoio na estruturação de uma reserva para o futuro.

Mais do que isso, a oferta de um plano de previdência empresarial se caracteriza como uma consideração profunda com o bem-estar psicológico dos colaboradores.

Tipos de contribuição


A forma como o plano de previdência empresarial vai funcionar será estabelecida através de um
contrato. Este benefício é bem flexível e pode ser trabalhado de diversas formas, seguindo algum dos princípios:

Contribuição conjunta


Neste modelo de plano de previdência empresarial, a
empresa e o colaborador contribuem conjuntamente para a reserva. 

O valor pode ser o mesmo para ambos, ou seja, a mesma quantia aplicada pelo colaborador, será aplicada pela empresa também. 

Por outro lado, a empresa pode optar também por contribuir com um valor fixo, relacionado ao cargo ocupado pelo profissional em questão ou baseando o cálculo no próprio desempenho dele em suas atividades.

Plano coletivo


A empresa pode optar também por disponibilizar um plano de previdência
coletivo para seu corpo de profissionais.

Nestes moldes apenas o colaborador vai contribuir podendo resgatar o valor quando sair da empresa ou também levando o plano consigo para continuar administrando-o.

Prazos do contrato


Assim como o modelo de contrato, os prazos do plano de previdência empresarial são relativos e variam de acordo com diversos fatores, como por exemplo, as
regras trabalhistas vigentes.

Em geral, esse prazo é estipulado entre 5 e 10 anos de tempo de serviço do colaborador, considerando que ele poderá receber o benefício se for dispensado ou mesmo se o contrato for rescindido. 

Os prazos são, contudo, pontos muito importantes na estruturação de um contrato de plano de previdência empresarial. Isso porque é um tipo de dado diretamente relacionado à estratégia e cultura organizacional do negócio.

A empresa pode, por exemplo, moldar um plano de previdência que cresce na medida em que os profissionais vão permanecendo nela, visando a retenção de talentos.

Modelos de aporte


A empresa pode escolher entre dois modelos de investimento para um plano de previdência empresarial: o
VGBL e o PGBL

A principal diferença entre eles é o recolhimento tributário e o colaborador pode fazer a escolha entre os dois, considerando aquele que considerar mais eficaz para o seu perfil. 

O importante é estar ciente que, após feita a escolha e o contrato for assinado, a modalidade não poderá ser alterada ao longo da sua vigência.

VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres)

No plano de previdência privada de modelo VGBL, o profissional vai acumulando os seus investimentos e o seu dinheiro vai rendendo. 

No momento em que os investimentos forem paralisados e o valor total gerado for retirado, o Imposto de Renda vai incidir somente em cima do número referente aos rendimentos.

PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres)

Já no modelo de plano de previdência PGBL, o valor investido também vai rendendo ao longo do tempo. Porém, o Imposto de Renda vai incidir sobre o valor total gerado pela soma entre investimentos e rendimentos.

Uma observação importante é que no modelo PGBL o contribuinte em questão tem também a possibilidade de abater todas as suas contribuições em previdência no seu Imposto de Renda para Pessoa Física.

Em outras palavras, esse modelo pode não parecer uma opção tão vantajosa quanto o VGBL. Mas, caso o colaborador tenha uma renda mais elevada e sua porcentagem de IR seja alta, o PGBL pode ser recomendado como benefício fiscal como forma de diminuir o valor do tributo.

Contratação do plano de previdência


Em primeiro lugar, vale reforçar que a oferta de uma plano de previdência privada por parte das empresas é uma
opção facultativa, ou seja, não obrigatória segundo o que rege a Constituição

A escolha do plano pode partir de duas formas principais: fechada ou aberta.

Plano de previdência fechado

No plano de previdência fechado, a empresa opta por criar um fundo de contribuição conjunta, entre funcionário e organização.

É possível, ainda, que a empresa crie uma entidade interna especialmente para cuidar dos termos e regras que guiarão a vigência do contrato.

Naturalmente, esse tipo de estratégia exige investimentos mais altos, sendo mais adotados por empresas maiores e com mais recursos.

Plano de previdência aberto

Sendo o modelo mais utilizado por empresas, o plano de previdência privado aberto pode ser acordado com o auxílio de uma corretora de seguros

A corretora terá o papel de analisar características da empresa, assim como seu perfil de forma geral, utilizando esses dados para escolher a melhor modalidade de plano de previdência, bem como a instituição financeira mais adequada a receber a abertura das contas.

Benefícios da oferta do plano de previdência para a empresa


Os benefícios de um plano de previdência privada para os colaboradores certamente são claros. 

Com a possibilidade de estruturar uma previdência que não se baseia em um teto limitado, o profissional trabalha com mais confiança e tranquilidade por saber que contará com uma estabilidade financeira quando se aposentar.

Mas e para as empresas, quais as vantagens? As principais são:

Atração e retenção de talentos


O plano de previdência privada é um atrativo extra para qualquer profissional. Garantir a estabilidade durante a aposentadoria é uma preocupação geral e que influencia muito nos
planos de carreira de jovens talentos.

Fortalecimento da cultura organizacional


Investir em um plano de previdência mostra aos colaboradores que a empresa se preocupa com a
satisfação de seus profissionais.

Assim, a cultura organizacional acaba se fortalecendo, pois os colaboradores se sentem mais valorizados e se engajam mais, não deixando espaço para um sentimento de desmotivação no trabalho.

Qualidade de vida


Por conta dos benefícios anteriores, é fácil compreender as razões pelas quais há a consequente
melhoria da qualidade de vida no trabalho. 

Todo o ambiente se torna mais saudável com profissionais mais felizes e tranquilos, que se tornam mais abertos ao trabalho em equipe, adotando um espírito colaborativo mais vívido.

 

Curtiu esse conteúdo sobre plano de previdência privada? Saiba também como funciona e quais são as vantagens do seguro de vida empresarial.

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.