Comunicação assertiva: práticas para adotar na sua empresa

comunicação assertiva

Comunicação assertiva: práticas para adotar na sua empresa

Você sabe o que é comunicação assertiva e qual a importância dela? Podemos dizer, em primeiro lugar, que um bom comunicador não é aquele que fala muito, mas que tem uma fala concisa e de qualidade, facilmente compreensível.

A comunicação assertiva é uma competência muito importante para as empresas, principalmente no contexto atual de Covid-19 e home office

E nesse escopo não estamos incluindo apenas os líderes, uma vez que para que a empresa tenha uma comunicação interna eficiente, todos os colaboradores precisam estar cientes de sua importância.

Por isso, repensar pequenas práticas da rotina e ser mais cuidadoso com os diálogos do trabalho são formas de desenvolver essa habilidade e melhorar cada vez mais a performance da equipe.

Ao longo deste artigo você vai encontrar dicas práticas de como tornar sua comunicação mais assertiva. Dessa forma, você poderá passar esse conhecimento para seus colegas de trabalho e liderados, que tal?

O que é a comunicação assertiva?


Primeiramente, vamos entender melhor do que se trata a comunicação assertiva. Podemos definir essa competência como uma comunicação transparente, em que as mensagens são claras e diretas.

Porém, não estamos falando aqui de agressividade. Pelo contrário, a comunicação assertiva é baseada no respeito mútuo e na empatia entre emissor (quem transmite a mensagem) e receptor (quem recebe a mensagem).

Apesar de expressar suas opiniões e vontades com segurança e firmeza, esse indivíduo está sempre se colocando no lugar do outro durante uma conversa, pensando qual a melhor forma de dizer e qual canal de comunicação usar. 

Em outras palavras, ele se preocupa que a mensagem seja recebida com sucesso, sem interferências e ambiguidades.

Podemos dizer que as características de um profissional que domina a comunicação assertiva são:

  • Trabalha sempre com a conformidade de ações / expressões faciais com as palavras que são ditas, sendo firme mas de forma educada, assim como preza pelo respeito consigo mesmo e com os demais;
  • Acredita que todos os indivíduos são iguais e merecem a mesma dose de respeito, não passando por cima de colegas para ter as coisas do seu jeito;
  • Mantém uma postura mais aberta e acolhedora;
  • Não se sente desconfortável em fazer contato visual, usando esse comportamento como forma de prender a atenção da pessoa com quem fala e mostrando que está aberto a ouvir;
  • Tem facilidade para estabelecer boas relações e fica feliz com isso.

 

Práticas para uma comunicação assertiva


Como pudemos ver, as características de um profissional comunicativo podem ser desenvolvidas. 

Sendo assim, adotando práticas que se tornarão hábitos, aos poucos é possível conquistar o nível pleno dessa competência e começar a sentir as mudanças que ela pode representar para as equipes de uma empresa.

Além disso, a comunicação assertiva não é um benefício apenas para a vida profissional. Ela é útil também no âmbito pessoal, nos ajudando a desenvolver relações mais saudáveis por onde quer que passemos.

Dito isso, vamos às dicas para ser uma pessoa com comunicação assertiva:

1. Ouça


Essa primeira dica pode parecer óbvia, mas é valiosa. Quantas vezes você já se deu conta de que não prestou atenção em uma coisa que alguém te disse? 

Isso é muito comum, pois com a correria diária e a ideia de que precisamos fazer várias coisas ao mesmo tempo, acabamos não ouvindo o que nos foi dito – apenas escutamos.

Ou seja, nós não absorvemos completamente a mensagem, ou porque estávamos pensando em outra coisa, ou porque estávamos envolvidos com outra atividade simultânea.

2. Tenha atenção às expressões corporais


Nós não nos comunicamos apenas através da fala. As expressões faciais e corporais são importantes componentes da troca de mensagens. 

Por isso, quando for falar com alguém, olhe para essa pessoa e observe se ela está atenta ao que você está dizendo, captando os sinais que indicam que ela está entendendo ou não.

Evite falar enquanto faz outras coisas, como digitando no computador ou mexendo no celular, por exemplo. Esse tipo de atitude cria uma barreira para a sua própria expressão corporal.

3. Pense qual o melhor canal 


Você deve concordar que nem tudo pode ser dito através de mensagem de texto, por exemplo. Isso diz muito sobre a necessidade de escolher o canal correto para o que precisa ser dito. 

Durante o trabalho remoto, principalmente, essa prática deve receber uma atenção mais do que especial. O repasse daquela demanda pode ser feito por e-mail? Ou seria melhor fazer uma chamada em vídeo para explicar melhor?

Pense sobre isso antes, pois a transmissão correta da mensagem depende muito desse aspecto.

4. Exercite o poder de síntese


O poder de síntese nada mais é do que falar muito com poucas palavras. Em outros termos, evite ficar dando voltas para repassar uma mensagem, pois o receptor pode ficar confuso.

Para ter uma comunicação assertiva e baseada na síntese, é preciso dominar três pontos:

  • Saber exatamente o que precisa ser dito;
  • Saber para quem você está falando e adequar sua linguagem;
  • Entender por qual razão aquela comunicação é importante.


Refletindo sobre isso antes de passar uma mensagem, certamente você obterá mais sucesso.

5. Saiba se posicionar


Um bom comunicador também sabe como se posicionar. Como mencionamos antes, é importante ser empático, se colocar no lugar do outro e tentar entender seus motivos para se expressar como tal.

Porém, é imprescindível saber dizer “não” quando necessário. Busque conhecer seus próprios limites, pois aqueles que não conseguem negar um pedido acabam ficando sobrecarregados, o que não é benéfico nem para a produtividade, nem para a qualidade de vida no trabalho.

6. Encare a comunicação como uma troca


Um péssimo hábito que temos é o de ver a comunicação com uma via de mão única. Sendo assim, em muitas situações nós passamos a mensagem e damos a conversa como concluída. Todavia, não é assim que funciona.

É importante pedir sempre um feedback de quem está ouvindo, para saber se realmente a comunicação foi assertiva ou se ficou alguma dúvida.

 

E então, você já pratica algumas dessas ações na sua rotina? Se você gostou dessas dicas sobre comunicação assertiva, pode também pode gostar de:

 

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.