Remuneração estratégica: conheça 5 verticais e suas vantagens

remuneração estratégica

Remuneração estratégica: conheça 5 verticais e suas vantagens

Enquanto a política de remuneração tradicional é ofertada de maneira homogênea a todos os colaboradores, diferenciando-se apenas pelo cargo, nível de experiência e área de atuação, a remuneração estratégica contempla o desempenho individual e positivo de cada colaborador.

Sendo assim, quanto melhor for o desempenho profissional em suas atividades, maior é a sua remuneração, já que há a adição de bonificações financeiras e demais benefícios.

A remuneração estratégica pode ser considerada um fator motivador para o colaborador, uma vez que valoriza suas conquistas profissionais e estimula a busca pelos altos índices de produtividade.

Continue acompanhando nosso conteúdo! Conheça as vantagens da remuneração estratégica e desvende 5 verticais que você pode implementar no plano de cargos e salários da sua empresa.

Quais as principais vantagens da remuneração estratégica?


Ao adotar uma política de remuneração estratégica, a empresa retribui àquele funcionário toda a dedicação à ela prestada. Esta ação é muito valorizada pelos colaboradores, uma vez que demonstra a preocupação e sensibilidade da empresa em remunerar, de maneira justa e compatível, os profissionais que mais se destacam em suas tarefas – ou, ainda, em tarefas excedentes.

A motivação do time como um todo é, de fato, uma das grandes vantagens da remuneração estratégica. Isso porque ao perceber que seus esforços estão sendo recompensados, o colaborador é estimulado a continuar fazendo a diferença em suas demandas.

O resultado de toda essa dedicação vem em forma de metas atingidas e resultados positivos. Sendo assim, a remuneração estratégica também é fundamental para a elevação de lucros da empresa.

Outro aspecto positivo de implementar uma boa política de remuneração estratégica é a possibilidade de reter talentos. Empresas que valorizam seus profissionais e mantém a satisfação tornam-se mais competitivas no mercado e atrativas aos funcionários. 

5 modelos de remuneração estratégica para você se inspirar


Quem oferece o melhor pacote de remuneração, certamente será a primeira opção dos colaboradores e candidatos às novas vagas. Desta forma, o time de gestão têm mais facilidade para manter os seus talentos atuais e atrair novos.

Veja, a seguir, algumas verticais de remuneração estratégica que podem ser interessantes para a sua empresa.

1. Gamificação


Há quem diga que a gamificação é uma estratégia positiva somente para equipes joviais, sobretudo as startups. Porém, não há regras.

A gamificação utiliza alguns processos e demais dinâmicas inerentes aos jogos de vídeo-games, para fins de engajamento, competitividade e resolução de problemas.  

Apostando em aspectos como metas, regras, feedback, participação e recompensa, os colaboradores se desenvolvem de maneira mais lúdica, além de receberem feedbacks imediatos e serem submetidos a metas reais e possíveis. 

Para que o processo de gamificação seja implementado de maneira assertiva, o gestor deve considerar:

  • os obstáculos enfrentados pela empresa;
  • os objetivos do processos;
  • os perfis profissionais aptos a participar;
  • as características da cultura organizacional;
  • o nível de relacionamento entre os colaboradores e gestores.

 

2. Remuneração por competências


Diretamente ligada à proatividade, a remuneração por competências está atrelada a proatividade do colaborador em executar tarefas que vão além das pertencentes à sua rotina.

Ou seja, quando um colaborador demonstra interesse em concluir uma demanda que não está diretamente ligada a ele, mas que é de suma importância para a empresa, há uma retribuição através de adição no salário.

3. Hiring bônus


O
“hiring bônus’’ é um tipo de remuneração estratégica que abrange, principalmente, os grandes executivos. Seu objetivo principal é reter estes talentos, de modo que cumpram longos contratos de trabalho – ou por um período previamente acordado.

Usualmente o bônus é na efetivação do processo de admissão, ou logo após. Como se tratam de profissionais de alto escalão, que muitas vezes recebem propostas frequentes de outras empresas, o adicional no contrato garante que o executivo não aceitará propostas de terceiros durante a vigência do seu contrato com a empresa atual.

4. Participação nos lucros e resultados – PLR


O pagamento da PLR é outra possibilidade de remuneração que pode ser utilizada estrategicamente. Não sendo incorporada ao salário, a PLR é paga anualmente (ou semestralmente/trimestralmente) a todos os funcionários. 

Como o próprio nome já diz, o montante é baseado no lucro anual da empresa, cuja divisão é distribuída igualmente a todos os colaboradores.

Não sendo ofertada por todas as empresas, a PLR é bem atrativa aos colaboradores. Dependendo do porte e segmento da empresa, os valores disponibilizados podem ultrapassar a faixa salarial básica, sendo, muitas vezes, o pagamento mais esperado do ano.

5. Avaliação 360 graus


Diferentemente de todos os modelos de avaliação para remuneração estratégica, a avaliação 360 graus conclui que os próprios colaboradores devem avaliar-se entre em si. Sendo assim, além de se autoavaliar, os funcionários também são avaliados por seus colegas, supervisores, subordinados e clientes.

A partir de cada avaliação, são utilizadas notas para cada colaborador. Esta nota pode ser utilizada como régua na definição da remuneração variável pelo time de RH. A tendência é que os colaboradores mais bem avaliados tenham acesso às melhores bonificações.

Assim como a oferta de um bom clube de benefícios, a remuneração estratégica é parte crucial no processo de retenção de talentos e engajamento. Sendo assim, torna-se amplamente utilizada por empresas que desejam solidificar sua base profissional.

 

Para obter mais dicas de como melhorar o engajamento do seu time e construir uma equipe produtiva, não deixe de ler nosso artigo sobre ações de endomarketing.

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.