RH Operacional X Estratégico. Quais são as principais diferenças?

RH Operacional

RH Operacional X Estratégico. Quais são as principais diferenças?

Você sabia que existem diferenças muito expressivas entre o RH Operacional e o Estratégico?

O modelo de gestão das empresas e o mercado de trabalho estão passando por mudanças, buscando unir as atividades do negócio à estratégias que auxiliem o processo de cumprimento de metas. 

No setor de RH não poderia ser diferente. Esse departamento atua junto ao capital humano da empresa, ou seja, as pessoas. O RH precisa acompanhar esse processo de modernização e se reinventar para não ter dificuldades.

As diferenças entre RH Operacional e Estratégico são bem perceptíveis e representam esse processo de evolução. Porém, muitos gestores ainda não entendem qual a importância dessa mudança de visão, e acabam tendo problemas que se acumulam como bolas de neve.

Neste artigo, vamos explicar o que é o RH Operacional e o RH Estratégico, indicando os benefícios que essa transição pode trazer para seu negócio.

O que é RH Operacional?


O RH Operacional é um modelo mais tradicional de gestão de recursos humanos, antigamente chamado de Departamento Pessoal. 

Entre suas funções na empresa, estão atividades burocráticas e mais padronizadas, como questões de folha de pagamento, recrutamento e seleção, treinamento e desenvolvimento.

Basicamente, o RH Operacional tem como responsabilidade a operacionalização dos processos, sem uma preocupação em avaliar resultados ou que tipo de impactos seu desempenho pode representar para a organização.

Por conta dessa falta de mensuração de resultados, a tendência é que o RH Operacional aos poucos deixe de existir, visto que existem soluções inovadoras chegando no mercado e que caracterizam um RH mais estratégico.

O que é RH Estratégico?


O RH Estratégico é aquele que entende e busca atender às necessidades do negócio, atuando de forma a promover o
desenvolvimento da empresa.

Ele trabalha em busca de resultados, estudando indicadores e modelando-os nos interesses da empresa. 

Durante esse processo, é imprescindível que também agregue valor aos colaboradores, que são determinantes para que a estratégia tenha efeito.

Em resumo, o RH estratégico tem uma visão muito mais ampla, que vai além de seu próprio departamento.

Para que esse modelo funcione, é claro que não basta ter essa concepção apenas na teoria. É preciso contar com profissionais com visão de mercado e de negócios, transitando entre setores da empresa e apoiando líderes e colaboradores em qualquer nível hierárquico.

É essencial adotar uma visão holística de todos os processos em andamento.

As decisões no RH Estratégico são baseadas em informações precisas, levantamentos e diagnósticos organizacionais, que buscam propor ações direcionadas para cada necessidade. 

Após a implementação das melhorias, há um processo de monitoramento e avaliação para identificar a efetividade ou não das propostas.

Para acompanhar tudo isso, as ferramentas tecnológicas de ponta são incorporadas na rotina, fornecendo dados consistentes. 

Esse suporte não só confere uma confiabilidade maior aos processos internos, como também otimiza o tempo com burocracias, que passa a ser utilizado com o que realmente demanda atenção dos colaboradores.

Principais diferenças entre RH Operacional e Estratégico


Como pudemos ver, a relação entre RH Operacional e Estratégico representa uma evolução da metodologia de gestão do setor de recursos humanos. 

Mas o que, especificamente, é preciso mudar no meu RH Operacional para torná-lo mais estratégico?

Vejamos:

Menos burocracia e mais estratégia


O RH Operacional é reconhecido como o departamento onde os colaboradores trabalham atendendo a burocracias o tempo todo. Processos pouco flexíveis e etapas minimalistas que demandam atenção constante.

Ele é um departamento quase que independente do resto da empresa no sentido de que não está muito interessado nas metas do negócio.

A partir do momento que uma visão estratégica passa a ser adotada, o RH se torna um parceiro integrado aos objetivos do negócio, pensando nas necessidades do mercado atual e como elas se relacionam com os profissionais da empresa.

O que as características do profissional moderno dizem sobre o capital humano do seu negócio? Pensando nisso, é possível otimizar não apenas a gestão de pessoas, como recursos, além de flexibilizar as atividades

A personalização das estratégias para a realidade de cada negócio permite que a empresa adote uma dinâmica mais eficiente, mais focada.

Diversidade e inovação


Como dito no tópico anterior, o RH Operacional é muito focado nas burocracias. Como adotar um pensamento estratégico com tantas tarefas a cumprir?

É nesse ponto que entendemos a importância de uma cultura de inovação. A empresa precisa estar aberta a novas possibilidades, se libertar das amarras padronizadas com as quais provavelmente está acostumada. 

Atualmente o mercado já dispõe de softwares que agilizam obrigações burocráticas como folha de pagamento e gestão de benefícios. Assim, sobra mais tempo para focar na parte estratégica.

Então, por que não utilizar essas funcionalidades? 

O RH Estratégico, diferente do RH Operacional, busca agregar à empresa e profissionais uma forma de pensar mais diversificada e inovadora, com aprimoramento constante.

Esse ideal se reflete não somente na adoção de tecnologias úteis, mas na própria visão de departamento em suas demandas, como um recrutamento e seleção mais direcionado a um perfil de candidato específico, que tenha um nível de fit cultural compatível com o negócio.

Ou seja, é preciso haver uma mudança no olhar, que se preocupe em contratar perfis diversos para o negócio e que abra espaço para atitudes inovadoras.

­Menos verticalização, mais comunicação


As estruturas hierárquicas e relações mantidas entre elas também mudam de um RH Operacional para Estratégico.

Os modelos verticalizados e autoritários, onde há pouco espaço para a troca de ideias, já são reconhecidamente um fracasso para o desempenho do negócio em dias atuais.

Isso porque a competitividade está elevada, e essa rigidez vai contra a retenção de talentos, que facilmente migram para outras organizações, mais flexíveis e com ofertas mais vantajosas.

A comunicação interna, nesse aspecto, vem ganhando papel de destaque em uma gestão de pessoas mais estratégicas. 

Atuando como principal ferramenta de integração, tanto com o cliente externo, quanto o pessoal interno, ela é capaz de atrair e fidelizar, não deixando espaço para que a concorrência tome seu lugar.

Foco nas pessoas


O RH Operacional é muito focado em tarefas operacionais relacionadas aos colaboradores, mas muito pouco ou nada preocupado com o
bem-estar dessas pessoas.

A sociedade hoje está mais consciênte sobre seus direitos e deveres, assim como a importância de conviver em um ambiente de trabalho saudável, que não sobrecarregue a saúde física ou mental.

Assim, os líderes começam a ver a relação de trabalho como uma relação de troca, em que as pessoas são o foco. É preciso investir na motivação e satisfação dos profissionais para que eles entreguem o melhor que puderem.

Assim como o profissional precisa do trabalho, a empresa precisa do colaborador. Isso significa incorporar estratégias que fortaleçam as relações organizacionais internas, mantendo um diálogo mais horizontal e não só pronto para falar, mas aberto a ouvir.

Diferentemente do RH Operacional, o RH estratégico também tem um foco personalizado nas necessidades humanas de quem trabalha na empresa, sempre relacionando este cenário com as demandas de mercado e cenários externos.

 

Agora você já sabe quais são as diferenças entre RH Operacional e Estratégico. Confira também quais são os principais desafios da gestão de equipes!

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.