O papel das habilidades cognitivas e metacognitivas no futuro do trabalho

habilidades cognitivas e metacognitivas

O papel das habilidades cognitivas e metacognitivas no futuro do trabalho

Habilidades cognitivas e metacognitivas são, basicamente, o conhecimento adquirido ao longo de nossas vidas, que confere sentido à nossas relações e objetivos.

Desde as ações básicas da rotina diária, como amarrar os sapatos, até o aprendizado mais complexo, voltado para o contexto acadêmico, por exemplo, estamos exercitando essas habilidades.

Em meio a tudo isso, estão também todas as relações sociais que desenvolvemos no ambiente pessoal e profissional, assim como toda a consciência que vamos construindo sobre nossa própria personalidade.

Em outras palavras, as habilidades cognitivas e metacognitivas são essenciais para o nosso desenvolvimento como seres humanos. Elas marcam nosso processo de crescimento ao longo dos anos.

Mas o que isso tem a ver com o futuro do trabalho, afinal? Isso é o que você vai descobrir ao longo deste texto. 

Vamos explicar em detalhes o que são as habilidades cognitivas e metacognitivas e qual seu papel nesse processo de mudança pelo qual o ambiente corporativo está passando.

O que são habilidades cognitivas e metacognitivas?


Como dito, as habilidades cognitivas e metacognitivas são assimiladas pelos seres humanos desde o seu nascimento e se desenvolvem ao longo da vida.

Focando em cada uma delas separadamente, podemos levantar as seguintes características:

Habilidades cognitivas


As habilidades cognitivas têm relação com
funções psicológicas superiores, sendo em si a capacidade que temos de absorver conhecimento.

Ou seja, os estímulos naturais que recebemos desde o primeiro momento de nossas vidas e que nos auxiliam a entender, aos poucos, como as coisas funcionam, mesmo que não sejamos diretamente ensinados sobre aquilo.

Os bebês, por exemplo, se desenvolvem cada vez mais à medida que experimentam novas formas de interagir com o ambiente, seja tendo contato com diferentes texturas, como grama e areia, ou mesmo ao tentar alimentos novos com sabores ainda desconhecidos.

Ao longo dos dias, essas novas experiências são essenciais para desenvolver o discernimento do certo e do errado, diferenciar objetos, pessoas, identificar problemas e buscar resolvê-los.

Resumindo, as habilidades cognitivas estão relacionadas à memória, atenção, percepção, raciocínio, pensamento e linguagem.

Elas não são impostas e decoradas, como um manual, mas sim assimiladas naturalmente como parte de um instinto de sobrevivência e adaptação, que se torna automático.

Habilidades metacognitivas


Mas se as habilidades cognitivas são o conjunto de informações assimiladas durante a vida, o que são as habilidades metacognitivas?

A habilidade metacognitiva está relacionada a um controle maior sobre aquilo que aprendemos cognitivamente.

Ou seja, a metacognição também passa por um processo de aprendizagem.

Podemos dizer que ela seria o processo de adquirir uma consciência sobre aquilo que se aprende inconscientemente. 

Para exemplificar essa ideia, sabemos que é muito frustrante quando você estuda por horas para uma prova mas percebe que não está conseguindo entender nada daquele conteúdo.

O simples fato de notar essa dificuldade de assimilação é uma habilidade metacognitiva. Você estará guiando seu cérebro para focar ainda mais em uma determinada tarefa.

O mesmo acontece em atividades mais banais e para fins de entretenimento, como quando optamos por assistir a um filme. 

Esse poderia ser um passatempo sem muito raciocínio, digamos, mas a partir do momento em que se observa as cenas com um olhar mais crítico, fazendo assimilações com outros aprendizados da vida, passa a ser uma ação metacognitiva. 

De forma geral, essas habilidades estão focadas na forma como organizamos as coisas. É a capacidade de se auto regular e planejar.

Ao longo da vida acabamos identificando nossas próprias dificuldades e elaboramos estratégias para tentar superá-las.

É dessa forma que podemos identificar, por exemplo, se conseguimos absorver melhor um conteúdo através de leitura, escrita, ouvindo um áudio ou até mesmo ensinando para alguém. 

É a capacidade de definir nossos próprios métodos de aproveitamento e desenvolvimento.

Quanto mais metacognitivamente desenvolvido um indivíduo for, mais fácil será para ele resolver problemas, controlar as próprias emoções e lidar com pessoas de diferentes personalidades, evitando conflitos.

O crescimento do potencial metacognitivo também deve ser estimulado logo nos primeiros anos de vida, razão pela qual a escola é tão importante.

Esse é o verdadeiro papel dos primeiros anos escolares, que não focam tanto em avaliar o conhecimento e sim a identificação de estratégias e comportamentos de cada um em busca da absorção das lições apresentadas.

Daí a importância de garantir que o ensino não seja embasado em uma cultura de “decoreba” desde o princípio, e sim em atividades lúdicas que desenvolvam com mais eficácia as habilidades cognitivas e metacognitivas.

E sua importância para o futuro do trabalho?


Mas qual a relação entre as habilidades cognitivas e metacognitivas? 

Bem, como mostramos aqui, essas competências são muito importantes para o desenvolvimento de uma pessoa mais aberta a novidades e adversidades que possa encontrar pelo caminho.

Elas também tem uma facilidade maior em identificar suas próprias limitações e trabalhar formas de superá-las.

Esse é um perfil muito importante para os profissionais do futuro do trabalho, tendo que lidar com cenários totalmente novos por conta dos efeitos da transformação digital.

Os colaboradores com essas habilidades poderão trabalhar melhor em equipe, estando mais preparados para aprender, expor suas próprias ideias e superar obstáculos.

As empresas buscam cada vez mais adotar uma cultura de inovação, que exige flexibilidade das equipes e também muita vontade para se adaptar a todas as mudanças.

Por essa razão, os gestores também buscarão por profissionais que possam lidar com esse contexto, sendo as habilidades cognitivas e metacognitivas mais do que essenciais.

A transformação digital não se limita à tecnologia. Investir no desenvolvimento do capital humano é um passo muito importante para alcançar o sucesso neste período de transição em vários aspectos.

Dessa forma, focar no desenvolvimento dessas habilidades é uma das principais tarefas da gestão moderna. 

As empresas devem investir cada vez mais em estímulos e práticas que aprimorem seus profissionais através de ações de endomarketing, por exemplo.

Agora você já sabe o que são as habilidades cognitivas e metacognitivas. Quer saber mais detalhes de como estimular essas competências em seus colaboradores? Confira os 4 pilares da comunicação interna na transformação digital.

Compartilhe

Deixe seu e-mail e receba antes o nosso conteúdo.